Edições da Revinter

pdf Período de decaimento em diferentes temperaturas do agrotóxico metil paration em uvas Popular

Marcado em Claudia Cristina Machado de Figueiredo Oliveira, Claudia Melo Moura, Manildo Marcião Oliveira, Maria de Fátima Alves Ferreira, Mauro Velho de Castro Faria, Moacelio Veranio Silva Filho

Registro DOI: http://dx.doi.org/10.22280/revintervol11ed1.363


Resumo

O objetivo deste estudo foi de avaliar as curvas de decaimento do inseticida metil paration em película e polpa de uvas, variedade itália, contaminadas em laboratório e armazenadas em condições ambiente e em refrigeração. Foi determinado o teor residual de metil paration após contaminação de uvas com várias concentrações do agrotóxico. Após 2 horas em solução foram retiradas, deixadas secar ao ambiente, seguindo a extração com solvente orgânico e detectado por método enzimático utilizando preparação de acetilcolinesterase (AChE). Foram analisadas da uva: película e polpa em diferentes condições de temperatura (ambiente e refrigerada). No primeiro caso, a meia vida é de 9-11 dias em contaminações iniciais acima de 10 ppm e de 3-4 dias quando os resíduos iniciais foram de 2 ppm. Sob refrigeração (8oC), a meia vida, em contaminações mais elevadas, chegou a valores acima de 40 dias, mas decaindo, também, em contaminações iniciais na faixa de 2 ppm. O decaimento pode demorar mais que três vezes o tempo quando esta fruta é armazenada sob refrigeração. O método enzimático com a acetilcolinesterase pode ser empregado, com grande eficiência, no estudo de agrotóxicos organofosforados em alimentos.


Palavras-chave: Degradação de agrotóxico. Organofosforado. Uvas..

Atendimento

Rua Turiassu, 390 | 9º Andar Perdizes | São Paulo-SP CEP 05.005-000 | Brasil

Newsletter

Não perca nenhuma novidade sobre a Revinter! Receba todas as edições da Revinter no seu e-mail grátis!

Search

Lançada! v. 11, n. 3 (2018): Volume 11 • Número 3 • Out de 2018 - São Paulo
botao 1