Edições da Revinter

pdf Morinda citrifolia (noni): uma revisão dos seus efeitos biológicos Popular

Marcado em Ana Virgínia Timbó Paiva Mororó, André Luiz Cunha Cavalcante, Francisco Eduardo Aragão Catunda Junior, Gilberto Santos Cerqueira, Maria Josiana Moita de Carvalho, Nicácio Tantâlo Pinheiro Araújo, Rafaelly Maria Pinheiro Siqueira, Suzana Barbosa Bezerra

A Morinda citrifolia, é uma pequena árvore da família Rubiaceae, do sudeste asiático, a qual possui um fruto popularmente conhecido como “Noni”, que está tendo um crescente consumo pela população devido aos seus supostos benefícios à saúde. Algumas pesquisas recentes sobre a utilização dessa fruta mostram vários resultados diferentes quanto aos seus possíveis efeitos terapêuticos. A presente pesquisa teve como objetivo identificar, através de revisão da literatura, os efeitos farmacológicos e toxicológicos do “Noni”. Foi realizado uma revisão bibliográfica, utilizando como instrumento de pesquisa as bases eletrônicas de dados do PubMed, SciELO e Google Acadêmico. Os trabalhos pesquisados mostraram que o consumo do “Noni” pela população iniciou-se pelo fruto através da introdução de sumos de fruta, como suplemento alimentar. Estudos fitoquímicos foram conduzidos para esclarecer a ação de seus principais componentes, como antraquinonas e os flavonóides. Consta na literatura a descrição de atividade anti-helmíntica (Ascaridia galli); efeitos protetores em lesão hepática; efeitos aditivos de indução de apoptose, pela via intriseca; ação neuroprotetora (com o aumento na memória de curto e longo prazo); não possuindo efeito adverso sobre a fertilidade; as avaliações de genotoxicidade mostravam-se dentro dos limites normais e reversíveis; trabalhos não evidenciaram alterações histopatológicas em ratos com diabetes tipo I; também foi encontrado que não houve eficácia anti-inflamatoria em mulheres com dismenorreia primária e alguns relatos mostraram que essa fruta possui certa hepatotoxicidade. Com essa variedade de resultados conclui-se que futuros estudos devem ser realizados a fim de elucidar efeitos farmacológicos desse fruto, sendo necessário determinar a melhor forma de consumo para que se tenha melhor proveito das propriedades terapêuticas deste além de determinar, de modo mais exato, sua toxicidade, visando garantir um consumo seguro.

DOI: http://dx.doi.org/10.22280/revintervol10ed2.268

Palavras-chave: Morinda citrifolia. Farmacologia. Toxicologia

Atendimento

Rua Turiassu, 390 | 9º Andar Perdizes | São Paulo-SP CEP 05.005-000 | Brasil

Newsletter

Não perca nenhuma novidade sobre a Revinter! Receba todas as edições da Revinter no seu e-mail grátis!

Search

Lançada! v. 11, n. 2 (2018): Volume 11 • Número 2 • Jun de 2018 - São Paulo  botao 1